8 orientações se você convive com uma pessoa portadora de Parkinson

Dados do IBGE estimam que existam hoje, no Brasil, cerca de 200 mil pessoas com a doença de Parkinson, o que corresponde a um aumento de 16% nos últimos 5 anos. A doença de Parkinson é uma doença crônica e neurodegenerativa que afeta principalmente pessoas com mais de 65 anos. A doença de Parkinson atinge o sistema nervoso central, causando a diminuição intensa e gradativa da produção de dopamina, que é um neurotransmissor que ajuda na transmissão de mensagens entre as células nervosas, causando os tremores.

Atualmente existem vários tratamentos que ajudam na contenção da doença, como atividades para minimizar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente. A seguir, a especialista elenca algumas delas:

  • Inicie o tratamento o mais rápido possível, mesmo que os sintomas ainda sejam leves. Lembre-se que além de melhorar os sintomas já estabelecidos, a fisioterapia também atua de forma preventiva, minimizando a evolução da doença.
  • Retire de casa todos os objetos que possam causar acidentes e quedas, como tapetes, brinquedos de crianças e dos animais de estimação. Evite também caminhar em lugares escorregadios e terrenos irregulares e tome sempre muito cuidado com os degraus.
  • Realize adaptações nos ambientes para te ajudar a evitar acidentes como, por exemplo, a instalação de barras de apoio nos banheiros, corrimão nas escadas e pisos antiderrapantes. Acenda as luzes e coloque os óculos ao se levantar a noite para ir ao banheiro ou à cozinha. Nunca se levante no escuro.
  • Procure manter o comprimento dos passos durante a caminhada, evitando que eles se tornem muito pequenos, e no momento do passo tente tocar o chão sempre com o calcanhar primeiramente.
  • Tente se concentrar em dar o passo tocando o chão com o calcanhar ou imaginar uma linha no chão a ser ultrapassada – quando se sentir preso ao chão (congelamento da marcha).
  • Evite realizar outra atividade enquanto caminha como, por exemplo, utilizar o celular. Concentre-se no que está fazendo para não tropeçar e cair.
  • Realize diariamente atividades cognitivas para estimular a memória e a concentração – como leitura, caça-palavras, palavras cruzadas, sudoku etc.
  • Realize atividades físicas de forma regular, porém faça essas atividades com segurança e supervisão, se for necessário.

Procure ajuda de profissionais especializados para que você ou seu familiar não corram nenhum risco. Você pode encontrá-lo através do site da Associação Brasileira de Fisioterapia Neurofuncional – ABRAFIN: www.abrafin.org.br.

Sobre o Centro de Excelência em Recuperação Neurológica (CERNE)

Fundado no ano de 2016 por Canrobert Krueger e Mariana de Carvalho, a clínica é referência no atendimento a pacientes com danos neurológicos. O CERNE possui equipe especializada em diversas áreas, como: Fisioterapia, Fonoaudiologia, Musicoterapia, Neuromodulação e Terapia Ocupacional. O diferencial da clínica está nos métodos de tratamento avançados, como Theratogs, PediaSuit, Bobath, Integração Sensorial, Contensão Induzida, ABA, DENVER, além da chegada do primeiro tratamento através da Neuromodulação ao sul do país. Para mais informações, acesse o site www.clinicacerne.con.br ou as redes sociais Facebook https://www.facebook.com/cerneoficial e Instagram https://www.instagram.com/cerne.oficial/

Leave Your Reply